Grupo H / CCEM

Aos estudos dos integrantes do Grupo H, inicialmente.


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Linhas 72 a 102

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Linhas 72 a 102 em Dom Maio 31, 2015 9:28 pm

Admin


Admin
"No entanto, por volta de 1977 as coisas estavam começando a melhorar, mesmo que, aos olhos da RAF, sem a suficiente rapidez. Certa medida de progresso havia sido alcançada pela adição de mais dois esquadrões de defesa aérea, criados pelo prolongamento da vida útil de alguns interceptadores Lightning; os Phantoms F-4 formavam agora a espinha dorsal da força interceptadora e haviam elevado grandemente sua capacidade em todos os níveis, bem como sua resistência à interferência eletrônica; mísseis terra-ar Bloodhound (SAM) haviam sido novamente introduzidos para a defesa em áreas de baixo nível no sudeste da Inglaterra, enquanto esquadrões móveis do Rapier britânico forneciam defesa de zona aos aeroportos vitais no norte. Mais melhorias estavam a caminho: a variante do Tornado de defesa aérea deveria substituir os Phantoms nos anos 80; aeronaves Nimrod de alerta imediato aerotransportado (AEW) haviam sido encomendadas; e um grande plano de racionalização e modernização estava sendo elaborado para unificar as comunicações de radar e os sistemas de comunicações heterogêneos e canhestros que haviam aparecido aos poucos através dos anos, enquanto a RAF lutava para melhorar suas defesas aéreas sob a parcimônia da política de defesa britânica. Olhando mais longe, os aeroportos iriam ter proteção reforçada para suas aeronaves, enquanto que um novo sistema de processamento de dados, particularmente flexível e resistente a interferência, o Controle Terrestre Integrado da Defesa Aérea do Reino Unido (UKADGE), ligaria os caças, centros de controle, sistemas de alerta imediato aerotransportados e aeroportos, no início dos anos 80.”

Mostra os Princípios de:
PRONTIDÃO: Demonstra que foram tomadas as ações que capacitaram para uma pronta-resposta a qualquer ameaça à soberania do espaço aéreo, aumentando a capacidade da defesa aérea, capacidade de resistência à guerra eletrônica, introdução de mísseis SAM, etc.
SEGURANÇA. Mostra as ações fitas visavam impedir que o inimigo obtivesse qualquer vantagem.

http://grupohccem.forumeiros.com

2 Re: Linhas 72 a 102 em Qui Jun 04, 2015 8:12 pm

André Mota


"...criados pelo prolongamento da vida útil de alguns interceptadores Lightning..."
Tarefa Sustentação ao Combate
Ação Logística Manutenção

3 Re: Linhas 72 a 102 em Qui Jun 04, 2015 8:15 pm

André Mota


"... e um grande plano de racionalização e modernização estava sendo elaborado para unificar as comunicações radar..."
Fundamento Prioridade
Princípio Economia de Meios

4 Re: Linhas 72 a 102 em Qui Jun 04, 2015 8:16 pm

André Mota


"Olhando mais longe, os aeroportos iriam ter proteção reforçada para suas aeronaves, enquanto que um novo sistema de processamento de dados, particularmente flexível e resistente a interferência, o Controle Terrestre Integrado da Defesa Aérea do Reino Unido (UKADGE), ligaria os caças, centros de controle, sistemas de alerta imediato aerotransportados e aeroportos, no início dos anos 80.”
Capacidade Proteger o Poder de Combate

5 Re: Linhas 72 a 102 em Sex Jun 05, 2015 11:28 pm

Admin


Admin
Economia dos Meios caracteriza-se pelo emprego e distribuição judiciosos dos Meios de Força
Aérea, alocando o mínimo de recursos para os esforços secundários e obtendo o esforço
máximo nos locais e nas ocasiões decisivos. Este Princípio baseia-se no uso racional da força
pela seleção da melhor combinação dos meios. Não vi isso no texto, só a palavra racionalizar, que não engloba obter esforço máximo nos locais e ocasiões decisivos.

http://grupohccem.forumeiros.com

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum